Hoje vim aqui contar tudo sobre a toxina botulínica, conhecida popularmente como Botox (que em verdade, é o nome de uma das marcas do produto). Sem dúvida alguma, trata-se do mais eficiente e consagrado tratamento estético do mundo na suavização e prevenção de rugas. Descoberta em 1895, a toxina botulínica é produzida pela bactéria Clostridium botulinum, que só a partir do início da década de 1970 começou a ser estudada com mais atenção por Alan B. Scott e Edward J. Schantz.

Mas foi só em 1992 que ocorreu a primeira publicação do uso cosmético da toxina botulínica, pelos oftalmologistas Alastair e Jean Carruthers[1]. Atualmente, aquele mito de aparência plastificada após o uso da toxina ficou para trás, pois o bom profissional tem técnicas para retirar as linhas de expressão e pequenas rugas sem perder a naturalidade do rosto. A primeira aplicação pode ser feita a partir dos 18 anos e não há limite de idade para o uso. Lembrando que, além da questão estética, a toxina botulínica é bastante utilizada de forma terapêutica, em casos de bruxismo (apertamento ou ranger dos dentes), enxaqueca e dores de cabeça, dores e marcas por tensão muscular. É muito eficiente também em casos de paralisia facial.

Existem diversas marcas atualmente no mercado. Eu utilizo principalmente a Dysport, Botox e Botulift, devido a qualidade do produto e resultados satisfatórios. Porém, mais importante do que utilizar as melhores marcas, os cuidados na diluição e armazenamento do produto são essenciais para um efeito duradouro e eficiente. O paciente precisa confiar no profissional escolhido para fazer a aplicação. Desconfie de quem cobra um preço abaixo do mercado. Alguns utilizam uma porcentagem de soro acima do indicado, para fazer render mais o produto, o que atrapalha no resultado final. Explicando melhor: a toxina botulínica é adquirida pelo profissional em um pequeno vidro, ainda em pó. É preciso fazer a diluição em soro fisiológico para obter o líquido a ser aplicado no paciente.

Quanto tempo dura o procedimento e como é a dor? 

O procedimento é breve e simples, dura em media de 15 a 20 minutos e é praticamente indolor. São feitas incisões com uma pequena agulha, injetando o produto na pele. Em pacientes mais sensíveis a dor, pode-se usar anestésicos tópicos.

Principais pontos de aplicação 

Para um bom resultado, tudo começa com uma marcação atenta no rosto do paciente. Os locais mais comuns de aplicação são: testa, para tirar as rugas da fronte, a glabela (entre as sobrancelhas), rugas do nariz, rugas periorais (o chamado código de barras), na lateral dos olhos (os chamados pés de galinha) e acima das sobrancelhas, para fazer o levantamento suave e tão almejado pela mulherada. Pode-se ainda fazer a correção da queda do canto da boca, correção de sorriso gengival, corrigir outras pequenas imperfeições.

O resultado pele lisinha tão esperado depende da boa distribuição dos pontos de aplicação, com a quantidade certa de produto. Esses pontos de aplicação podem variar entre 24 locais (para peles mais cansadas) e seis ou oito (para peles mais jovens).

Tempo de ação

É importante frisar sempre: a toxina botulínica não faz efeito logo após a aplicação. O produto começa a agir nos músculos faciais quatro dias após o procedimento e o resultado final só é possível ser observado 15 dias após aplicação. Eu sempre lembro o paciente de anotar em uma agenda ou no celular, o dia de sua aplicação, para saber quando se deve fazer o retoque (se necessário) e saber quanto tempo a toxina fica ativa em seu organismo. Isso varia muito de pessoa para pessoa, mas em média dura seis meses.

Quantas sessões são recomendadas?

Quantas forem necessárias para se obter o resultado esperado. Como não se trata de um procedimento permanente, o paciente deve retornar ao profissional que fez a aplicação tão logo perceba os músculos voltando a funcionar, provocando as rugas dinâmicas, ou seja, aquelas que surgem a partir de expressões do rosto.

Quem não deve utilizar botox ?

Quem possui qualquer alergia ao componente da formulação da toxina; pacientes com doenças imunológicas, neuromusculares e coagulopatias; gravidez ou amamentação.

[1] Arruthers JDA, Carruthers JA. Treatment of glabellar frown lines with C. botulinum-A exotoxin. J Dermatol Surg Oncol 1992;18: 17-21.

Compartilhar

Adicionar Seu Comentário

2019 © Copyright Dra. Jamilly Braga.
Design por R3Tech .

Open chat
Powered by